1. Nutrição e Digestão

A nutrição é o meio pelo qual os sistemas vivos podem continuamente se reabastecer dos seus combustíveis (alimentos). Os alimentos proporcionam ao organismo a energia necessária para a execução de suas atividades.

Etapas da nutrição

Alimentação, digestão, desassimilação, dejeção ou defecação.
A alimentação se define como ato de receber no interior do organismo o alimento proveniente do meio externo. A digestão é todo um processo físico (mecânico) e químico, destinados a fragmentar as partículas alimentares a fim de serem assimiladas
e utilizadas pelas células. Processos Físicos Mastigação, deglutição e peristaltismo

 


Processos Químicos
Insalivação, quimificação e quilificação

O sistema digestivo humano tem como finalidade capturar, transportar e digerir os alimentos, para depois absorver os nutrientes necessários.

O sistema digestivo compreende duas partes:
Tubo digestivo ---> boca, faringe, esôfago, estômago e intestinos (delgado e grosso)
Glândulas Anexas ----> Glândulas salivares, fígado e pâncreas

Boca

É uma cavidade natural, forrada por uma mucosa. No interior da boca ocorre a mastigação e a insalivação, constituindo o bolo alimentar.



Faringe
É um canal músculo membranoso que se comunica por uma extremidade com a boca, através do istmo da garganta (orofaringe), e por outra, com o esôfago. A faringe, também se comunica com as fossas nasais, por meio de orifícios chamados coanas (nasofaringe).
A faringe é considerada um órgão duplo, pois dá passagem tanto para o sistema digestivo como para o respiratório.

Esôfago
É um conduto musculoso com aproximadamente 25 centímetros de comprimento, que une a faringe ao estômago. Este conduto, realiza contrações involuntárias que conduzem o alimento para o estômago. Essas contrações constituem o chamado peristaltismo.
A parte inferior do estômago se comunica ao estômago através da válvula cárdia.

 

Estômago
É uma dilatação do tubo digestivo, cuja finalidade é de armazenar alimentos e realizar a digestão.
O estômago está localizado no abdome, logo abaixo do músculo diafragma e encaixando-se a esquerda do fígado. Apresenta uma pequena curvatura superior (côncava) e uma grande curvatura inferior (convexa). O estômago vazio mede de 15 - 20 centímetros de comprimento por 12 - 15 centímetro de largura. Internamente, é revestido pela mucosa gástrica, que possui glândulas que produzem o suco gástrico.
O estômago se comunica inferiormente com o intestino delgado (duodeno), através de um músculo em forma de anel, denominado válvula piloro, que impede a passagem prematura do alimento para o intestino.
Como órgão de absorção, o estômago transfere para o sangue apenas uma quantidade de água, sais, açúcares álcool e algumas drogas.

 

 

Intestino delgado
É provavelmente o órgão mais importante da digestão. Nele se processa as principais atividades de absorção das substâncias ingeridas com os alimentos.
Anatomicamente, o intestino delgado é um tubo com aproximadamente 6,5 metros de comprimento e 3 - 5 centímetros de diâmetro, estando dividido em 2 partes: duodeno e jejuno - íleo.
O duodeno compreende a primeira porção do intestino delgado, com o tamanho aproximado de 12 centímetros de comprimento.
No duodeno desembocam dois canais:
- o do pâncreas, chamado de canal de Wirsung, que conduz o suco pancreático.
- O canal colédoco, que é uma união do canal hepático (fígado) com o cístico (vesícula biliar).

 

 

No jejuno - íleo ocorre a absorção do alimento através da mucosa entérica.
Esta mucosa possui projeções digitiformes, chamadas vilosidades intestinais.
O intestino delgado se comunica através da válvula íleo-cecal com o
intestino grosso.

 

Intestino grosso
É um tubo que mede aproximadamente 1,70 metro de comprimento e 7 centímetros de diâmetro, que começa na parte inferior direita do abdome. Este tubo está dividido em três partes: ceco, colo e reto.
O ceco compreende a primeira porção do intestino grosso, onde encontramos uma projeção com aproximadamente 5 centímetros de comprimento, o apêndice vermifirme.
O colo corresponde a parte maior do intestino grosso, onde ocorre a absorção de água e sais minerais que não foram absorvidos no intestino delgado.


O reto é um anel cilíndrico com cerca de 15 centímetros de comprimento,
cuja abertura denomina-se ânus. Na parte terminal do reto (ânus) localiza-se
um anel musculoso denominado esfíncter anal, cujo relaxamento voluntário elimina as fezes.

A Fisiologia da Digestão

Os alimentos são substâncias que ingerimos periodicamente, necessários a nossa sobrevivência. Eles fornecem o material para o crescimento e a recuperação do organismo, bem como energia para a execução das várias funções biológicas. Para
serem aproveitados, os alimentos necessitam de uma série de transformações, que denominamos digestão. Essas transformações são ocasionadas pela ação dos sucos digestivos e suas enzimas.
Na saliva é encontrado o tiocianato de potássio, que tem ação bactericida.
O ácido clorídrico do suco gástrico abaixa o pH no estômago para 2,0,
favorecendo a ação da pepsina.

 

 


O fígado produz um fermento chamado bile, que atua sobre o quimo, como
uma espécie de detergente, emulsificando a gordura, transformando-a em finíssimas gotículas, facilitando a ação das lipáses. A bile não tem enzima e sim sais biliares (tauracolato e glicolato de sódio) e bilerrubina.